Artigos

Perguntas Poderosas para o Autoconhecimento

Perguntas Poderosas para o Autoconhecimento

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Um processo de coaching é um exercício de descobertas para o autoconhecimento. Durante as sessões, o coachee (cliente de coaching) é convidado a refletir sobre suas escolhas, suas decisões e o que deseja para viver plenamente sua vida, tornando-se protagonista de sua história. Uma metodologia infalível e poderosa é o uso adequado de perguntas que suscitam o desenvolvimento pessoal através do autoconhecimento.

O objetivo principal do coach, quando apresenta uma pergunta ao seu cliente, é conectar a linguagem a uma experiência sensorial, visando recuperar informações alteradas por omissões, distorções e generalizações da linguagem.

As palavras têm um grande poder

Desde pequenos somos bombardeados com palavras e,, por elas, aprendemos as coisas com as quais vamos viver boa parte da nossa vida. No entanto, nem só de palavras boas e educativas nossa personalidade é forjada. Recebemos uma infinidade de informações e muitas delas provocam em nós medos e fazem gerar crenças limitantes.

Ao chegarmos na fase adulta, nem sempre conseguimos discernir o que é bom e o que nos causa problemas. Muitas vezes nos deparamos com dificuldades para lidar com as coisas e pessoas. Inconscientemente, adotamos muitos conceitos passados a nós na infância e adolescência como verdades plenas, e vários desses conceitos podem ser prejudiciais.

Através de um processo de identificação e, às vezes, de desconstrução da estrutura dos significados, o coachee inicia a reconstrução do que lhe é importante e necessário. Exemplo:Pode, a princípio, um coachee dizer que sua meta é ter qualidade de vida. Mas o que seria para ele qualidade de vida? Com certeza, encontraríamos respostas diferentes se perguntássemos para várias pessoas. Umas diriam que é estar fisicamente em forma; outras considerariam que não ter dívidas e poder dormir sem pesadelos seria o seu estado ideal. Outras ainda afirmariam que qualidade de vida é ter dinheiro na conta bancária para viajar, fazer compras sem culpa etc. A própria palavra dinheiro tem significado diferente para cada pessoa. Uns o vêem como vil metal, obra do demônio; outros, como instrumento necessário de sobrevivência; outros, como objeto de desejo.

A seguir, listarei algumas declarações frequentes em uma sessão de coaching e apresentarei exemplos de desconstrução, permitindo assim a identificação de evidências sensoriais que ajudam a aproximar o coachee de seus objetivos. Aproveite para refletir sobre elas e também buscar o verdadeiro significado para sua vida.

Afirmação: "Eu quero ter sucesso!"

Coach: "O que significa sucesso para você?"; "O que evidencia ser uma pessoa bem sucedida para você?"

Afirmação: "Eu estou cansado de viver a minha vida como ela é!"

Coach: "Ao invés de se sentir cansado, como você gostaria que sua vida fosse?"

Afirmação: "Eu não me acho competente para fazer nada"

Coach: "O que você tem feito ultimamente? Conte-me como foi o seu dia de hoje desde que acordou até o momento."; "O que você sabe fazer, por mais simples que seja seu conhecimento, que outras pessoas geralmente não sabem?"

Afirmação: "Eu não sou disciplinado!"

Coach: "Quais são exatamente os obstáculos que você identifica em sua indisciplina?"; "Que situações você já viveu nas quais conseguiu os resultados que almejava a partir da sua própria determinação?"

Afirmação: "Ninguém me respeita!"

Coach: "O que você considera como sinal de respeito?"; "Como você sinalizou indicando que esperava respeito?"

Afirmação: "Eu não me sinto feliz em meu trabalho (ou em minha carreira)."

Coach: "O que faz você feliz?"; "O que você faz que, quando faz, nem percebe o tempo passar?"; "O que você ama fazer?"

 

Existe uma infinidade de perguntas que auxiliam o desenvolvimento de um processo de coaching. Mas o importante é o coach ter sensibilidade para adequá-las no momento e na aplicação certa. Cabe ao profissional que conduz as sessões investigar, colhendo informações com perguntas positivas, desenvolver a desconstrução das crenças limitantes (medos, preconceitos, paradigmas, dogmas etc.), clarificar os significados (valor, sentido ou conteúdo semântico de um signo lingüístico. Toda palavra que possui um sentido é considerada um signo linguístico) e criar novas opções e escolhas, levando o cliente a perceber as possibilidades e as condições ideais para atingir seus objetivos.

Um coach bem treinado respeita e segue uma escala hierárquica de perguntas que facilita o desenvolvimento do processo. A função de cada nível dentro da escala é organizar e controlar a informação do nível imediatamente inferior.

O nível mais alto leva em conta a identidade do coachee. É o que chamamos de PAPEL, que determina o propósito maior (Visão e Ambição) e molda crenças e valores. Este nível responde a perguntas QUEM SOU? no Estado Atual e QUEM SEREI? no Estado Desejado.

O passo seguinte é apurar essencialmente os VALORES e CRENÇAS, que dão reforço à Permissão e à Motivação, que apoiam ou bloqueiam as capacidades. Este nível responde à pergunta POR QUE?

No terceiro nível, são avaliadas e consideradas as COMPETÊNCIAS (conjunto de habilidades e comportamentos), que como mapas mentais (Estratégias) conduzem e dão direção às nossas Atitudes. Respondem à pergunta COMO?

O penúltimo nível traz à baila as Ações, isto é, o Fazer (ações e reações específicas realizadas no Espaço. Chamamos este nível de ATITUDE e ele responde à pergunta O QUE?

Por fim, concluímos a escala com o nível mais baixo, que envolve as condições externas nas quais as nossas Atitudes acontecem. É o ESPAÇO que responde às perguntas ONDE? (Local) e QUANDO? (Data e Horário).

O fruto do uso da Escala das Perguntas Poderosas, como essa ferramenta é comumente chamada pelos coaches, é provocar o autoconhecimento no coachee e suscitar a superação de seus limites. Sessões de coaching que não produzam a elaboração de um Plano de Ação não são sessões bem sucedidas. A escala de perguntas feitas durante as sessões deve nortear a conversa da identificação do Estado Atual e do Estado Desejado à definição das estratégias para a obtenção das metas.

Interessante notar que o nível dos Valores e Crenças está acima das Competências, revelando assim a importância do ACREDITAR. Quem acredita em si mesmo é capaz de movimentar mundos para adquirir as competências que lhes trarão os resultados esperados.

 

Bem, este artigo, confesso, é profundo, denso e técnico. Não é tão facilmente lido como os textos anteriormente publicados neste site, mas ele tem um propósito: expor meus estudos sobre a metodologia que emprego durante as sessões de coaching.

Caso tenha ficado alguma dúvida, não hesite em escrever abaixo um comentário. Estou aberto a críticas. Desejando sugerir um complemento, sinta-se à vontade.

Se este texto suscitou em você o desejo de participar de um processo de coaching, entre em contato conosco para combinar uma sessão experimental. Atendemos presencialmente ou online, via videoconferências. Nossos telefones são (21) 98503-7777 - Aldo Marques e (11) 98308-3800 - Eunice Cardozo.


Aldo Marques Legal

Olá! Eu sou Aldo Marques. Escritor, palestrante, criador do Programa de Superação de Limites Vencer Agora® e autor da maioria dos artigos deste site. Sou Life Coach, especializado em desenvolvimento pessoal com ênfase em espiritualidade e Analista Comportamental habilitado para a ferramenta DISC Assessment pela Sociedade Latino Americana de Coaching - SLAC, com Professional Coach Certification pela International Association of Coaching Institute. Minha paixão é ajudar pessoas a serem melhores.

 

 

Buscar

Assine nossas Newsletters

Últimos Artigos

10 Março 2016
28 Agosto 2015
06 Julho 2015
© 2015-2018 Vencer Agora. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Aldo Marques.

Buscar